A rica herança pré-histórica da freguesia, torna-a sem sombra de dúvida, um dos sítios mais importantes da Europa, do ponto de vista histórico-arqueológico.

A Estação Arqueológica da Herdade da Sala, no lugar da Fonte Nova, que inclui a Gruta do Escoural, classificada como Monumento Nacional (Decreto nº 45327, de 25 de outubro de 1963) – No atual território português, a Gruta do Escoural, é a única cavidade conhecida, que possui pinturas e gravuras rupestres realizadas no Paleolítico Superior. Aqui se encontram testemunhos da presença de duas espécies humanas distintas, o Homem e Neanderthal e o Homo Sapiens

No exterior da gruta, situa-se um Santuário Rupestre Neolítico e um pequeno povoado Calcolítico. O conjunto arqueológico inclui o Tholos”, monumento funerário de falsa cúpula, classificado como Imóvel de Interesse Público, através da Portaria nº 646/2014. 

Descoberta em 1963, é sinónimo de uma viagem de centenas de milhares de anos, até ao Paleolítico. Das galerias mais afastadas, até ao cimo do outeiro, surgiram ao longo dos milénios, várias civilizações pré-históricas. A mais antiga ocupação humana no Escoural data de há cerca de 50 mil anos. Embora se possam identificar diversos temas na arte rupestre do Escoural, o que predomina são representações de Equídeos e Bovinos. 

No neolítico, esta gruta foi muito utilizada como necrópole funerária tendo os respetivos vestígios (ossadas humanas e espólio votivo associado) sido conservados por espessa camada de calcite.

O Centro Interpretativo da Gruta situa-se no aglomerado urbano do Escoural.

Saiba mais AQUI

A Anta 1 do Carapetal, classificada como Imóvel de Interesse Público pela Portaria nº 749/2014, de 23 de setembro.

A Anta Capela de Nossa Senhora do Livramento, classificada como Imóvel de Interesse Público pelo Decreto nº 41191, de 18 de julho de 1957 – A sua morfologia original foi bastante alterada aquando da sua transformação em capela, no século XVII.

Para além dos valores classificados existem muitos outros elementos patrimoniais, como por exemplo: 

  • Anta 1 do Escoural;
  • Anta da Carvoeira;
  • Anta da Esfola-Caras;
  • Anta da Figueira;
  • Anta da Nogueira;
  • Anta e Menir de Vale de Mós;
  • Anta do Falcão;
  • Anta do Outeiro de São Brissos;
  • Antas e Menires da Malhada;
  • Antas da Rocha;
  • Antas do Olival;
  • Conjunto das Minas da Nogueirinha;
  • Convento de Nossa Senhora do Castelo das Covas de Monfurado, ou dos Monges;
  • Igreja Paroquial de S. Brissos e Igreja Paroquial de Santiago do Escoural;
  • Lagar de Cima (na EM 370);
  • Forno de cal da Malaca;
  • Fonte da Ferrenha;
  • Moinho das Falés;
  • Sepulturas e Casal da Dacoreira, do período Romano;
  • Quinta da Torre do Carvalhal – com solar do séc. XVI;
  • Quinta de Nossa Senhora do Rosário – com ermida do séc. XVI e habitação do séc. XVIII.

A característica da imagem urbana é a presença imponente de chaminés, algumas desproporcionadamente enormes relativamente ao edifício em que se suportam, trazendo outros ritmos aos arruamentos, algumas delas exibindo a sua antiguidade, através da data inscrita e emoldurada por pinturas decorativas.

Com uma elevada ocupação florestal, dominando o sobreiro (Quercus suber) e a azinheira (Quercus rotundifolia), 76,92 % do solo da freguesia está classificado como Espaços Naturais (Revisão do PDM – Estudos de Caracterização), sendo que 48,76 % integram a Rede Natura 2000, Sítio de Importância Comunitária PTCON0031 Monfurado, que se caracteriza por uma grande diversidade de habitats naturais e humanizados, destacando-se a ocorrência de abrigos de grande importância para a preservação de várias comunidades de morcegos com estatuto de proteção Em Perigo, que vivem nas cavidades resultantes da antiga extração de minério (minas dos Monges e da Nogueirinha).

Integra ainda infraestruturas de apoio ao turismo de natureza: uma rede de percursos pedestres e de BTT.

Saiba mais AQUI e AQUI